Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Serreta - Angra do Heroísmo

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! 09/04/2004. Terceira - Açores

Serreta - Angra do Heroísmo

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! 09/04/2004. Terceira - Açores

22
Fev08

"Uma Rosa na Blogosfera" da autoria de M. João - Oeiras

Rosa Silva ("Azoriana")
UMA ROSA NA BLOGOSFERA

MOTE
Tenho uma amiga que é Rosa!
Uma rosa virtual...
Escreve poesia e prosa
Com candura virginal!


TENHO UMA AMIGA QUE É ROSA!
Uma rosa, quem diria...
Por causa da Poesia
Quase me sinto famosa...

UMA ROSA VIRTUAL...
Coisa rara nunca vista!
Queira Deus que a Rosa exista
Também no mundo real!

ESCREVE POESIA E PROSA
Porque a Rosa tem talento
E Deus, que está sempre atento,
Quis torná-la talentosa...

E, sendo rosa, afinal,
Não me espanta mesmo nada
Ver essa flor contemplada
COM CANDURA VIRGINAL!

22.02.08 - 15.30h
"poetaporkedeusker"

M. João Sousa

20
Fev08

Nascente

Rosa Silva ("Azoriana")

Às vezes... Não! Muitas vezes...
Absorvo o pensamento
Que me diz, baixinho, quase
Em silêncio adormecido:

A poesia é uma nascente
que se lança na tristeza
e alegria da gente.
Ela está em todos
mas só alguns a
espalham a rodos.
Há quem a faça correr
e há quem a deixe
solitária...

[Também se morre vivendo
na esperança do renascer!
]

Eu vivo desde que
Tu te foste, enfim...
És nascente em mim.
És tu que me conduzes
Na ribeira das palavras.

[E Deus apontou-me este caminho
Onde coloco o
teu (meu) sentir com carinho.
]

2004/04/09
Azoriana

11
Fev08

A alma da gente

Rosa Silva ("Azoriana")

1 de Fevereiro de 2008
22:30

Os "bonecos da Igreja" foi a primeira expressão atirada ao ar e que ouvi ao chegar à "nova" moradia por quatro dias e que me fez rir desalmadamente. Não era caso para tanto mas no Carnaval ninguém leva a mal. Sem dúvida, que já não há santos mas "bonecos" e nós éramos, também, quatro bonecos de carne e osso prontos para as danças do Carnaval com cheirinho à freguesia que nos chama para perto da pequena serra.

O primeiro bailinho foi o da casa, isto é, o da Serreta, que me encheu de felicidade a que juntei à felicidade que já tinha junto de mim. Senti uma emoção especial e estava perto das pessoas da freguesia que me conhece nem que seja por ser dali natural. Houve até uma residente que me disse: "Nunca esqueces a Serreta." - É verdade! Quem pode esquecer o seu berço!? Só mesmo quem tem coração duro.

Pese embora as cadeiras também serem duras, aguentámos sentados longas horas de divertimento e riso. Perto de nós estavam uns vizinhos da casa que nasci. Uma dessas pessoas é uma senhora que sempre nos mostrou ter uma força interior muito especial. Sobreviveu a tempestades, a dores e penas. Foi sempre uma mulher de coragem, uma referência na freguesia, uma lutadora e muito trabalhadora. Ao pé dela ninguém consegue ficar triste porque ela anima quem quer que seja com aquele ar risonho mesmo que por dentro possa estar noutra fase.

Nunca lhe disse, mas teve um tempo que senti vontade de ter uma mãe assim, sobretudo naquela idade das interrogações. Agora, neste Carnaval, fiquei feliz de estar ali perto dela porque me fez lembrar da minha mãe que não fez mais por mim porque cedo ficou incapacitada.

O amor não se mede mas tem-se. O amor sente-se quando se quer bem.

Vê-se que esta senhora nutre grande amor pela família e transmite alegria e boa disposição aos circundantes. Os seus cabelos já estão grisalhos mas o seu riso continua igual e reconheço-o mesmo de olhos fechados. E muito rimos com alguns assuntos das danças e bailinhos que passaram pelo palco do renovado salão da Sociedade Filarmónica Recreio Serretense.

Nunca lhe falei desta simpatia que nutro por ela e pelo bonito nome que ela tem: - Ernestina!

Mais sobre mim

foto do autor

in DI Domingo. Foto de António Araújo

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

ir para / go to:

nota de abertura

Neste espaço residem pequenos fragmentos da alma serretense.
Um residente classificou-a como sendo fresca no clima e quente na hospitalidade. É, sem dúvida, uma freguesia fresca, pequena mas com uma grande alma.

É um "Cantinho do Céu", como a autora lhe chamou num dos seus artigos, já publicados no blog original "Azoriana / Açoriana".
Sob o pseudónimo de Cidália Miravento e na capa de "Azoriana", Rosa Silva vai reunindo coisas suas e de outros no intuito de divulgar a freguesia que lhe deu berço - SERRETA.

Bem-vindo à Serreta, a freguesia de Nossa Senhora dos Milagres, do concelho de Angra do Heroísmo, ilha Terceira - Açores.

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

selo

Azoriana/Açoriana (II)
Azoriana/Açoriana (II)
@ 2006 - Código

(Usa Ctrl+C p/copiar
e Ctrl+V p/colar
o selo no seu blog)