Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Serreta - Angra do Heroísmo

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! 09/04/2004. Terceira - Açores

Serreta - Angra do Heroísmo

Os escritos são laços que nos unem, na simplicidade do sonho... São momentos! 09/04/2004. Terceira - Açores

22
Dez12

Ao João da Agualva

Azoriana

Quero deixar gravado neste blog um comentário que deixei no Facebook de um amigo da nossa cultura popular: João Mendonça, conhecido pelo João da Agualva. Ele presenteou-nos com um "Presépio" feito de maravilhosas sextilhas que ornamentam qualquer mente que as leia e perceba o quão maravilhosa é a sua arte e sabedoria, seja qual for a sua ação. Eis, então, a minha resposta:


Caro amigo João
Boas Festas aqui estão
Quase, quase nesse dia
Parabéns te quero dar
Teu "Presépio" gabar
Tua arte e sabedoria.

Lembro que a tua Agualva
Onde brota água alva
Permanece no coração
Sei disso porque a Serreta
Pode até ser toda preta
Mas é minha clara paixão.

Quando eu era pequenina
E seguia a doutrina
Em teoria e ação
Lembro que o meio da casa
O presépio estava à rasa
Com a minha ajuda então.

Hoje sinto a nostalgia
Nesta época, quem diria,
Que isso ia acontecer
Perdi toda a meninice
E a crise outra chatice
Que deitou tudo a perder.

Às figuras juntava o galo
Da capoeira o regalo
No cimo, bem nas alturas,
Os reis magos e a estrela
E eu volta e meia a vê-la
Mesmo que fosse às escuras.

Tenho pena amigo João,
Dos meus filhos, nesta estação,
Não pensarem como eu...
Fruto desta nova era
Sabem talvez os que os espera
Num "presépio" como o meu.

Abraços a toda a gente
Dos Açores e Continente
E um pouco mais além
Emigrantes saudosos
Desses tempos maravilhosos
Do Menino de Belém.

Desculpem minha ousadia
Mas tocou-me a magia
Do Presépio do João
Este nosso bom artista
Merece que lhe assista
Toda a melhor saudação.

Bem-haja este ilhéu
Que em tudo o que é seu
Merece bravos elogios
Por mim faço o que posso
Por defender o que é nosso
Nos meus parcos desafios.

Para acabar em dezena
A sextilha que acena
À brava população
Fiquem bem nos vossos lares
E cantem pelos altares
Ao Natal do bom cristão.

Rosa Silva ("Azoriana")

05
Abr11

Versos que a Chica Ilhéu me ofereceu e declamou no dia do lançamento do meu livro

Azoriana

O teu livro acabei de ler,
E dele muito gostei,
É fruto do teu saber
Disso nunca duvidei!

"Serreta na intimidade",
Foi o título escolhido,
Nele sente-se a saudade
O nome tem seu motivo!

Dos poemas lá escritos,
De todos o que mais gostei,
Embora todos bem bonitos
Um, deles eu destaquei!

"VERSOS DE MÃE" Salvam vidas...
Dizes no teu poema
Rimas nessas linhas queridas
A tua dor e dilema!

Do BODO falas também,
Da Senhora e Procissão,
Mas sem nunca esquecer a Mãe
Que trazes no teu coração!

Dedicaste ao Alfenim,
Umas rimas com Louvor,
Falaste do teu cantinho
Com muito carinho e amor!

Serretense que se preza,
Tem sempre muita devoção,
Trabalha, festeja e reza,
Com a freguesia no coração!

A os amigos dedicaste,
Umas rimas ao teu jeito,
E se às vezes não rimaste
Nem tudo sai a preceito!

Não esquecendo a Cidade
De Angra do Heroísmo,
Com palavras a rimar
Falaste no Patriotismo!

Nestas minhas quadras singelas,
Deixo a minha admiração,
Deixo um abraço apertado
Do fundo do meu coração!

A Amizade é o maior bem,
Que o Ser Humano pode ter,
Assim o faço também,
E penso bem merecer,
Um abraço te quero dar
E, dizer-te: -"PARABÉNS!"
Pelo livro que vais lançar
Que vivas por muitos anos!


CHICA -24-3-2011, in "Chica Ilhéu"

31
Jul10

O "nosso" 35. Vasco Pernes - RTP - Açores

Azoriana

Por cá a vida é bela
Na nossa RTP - Açores
35 ANOS tem ela
E tão rica de valores.

Vasco Pernes nos convida
A voar p'las freguesias:
Pequenas de grande vida
Na labuta do dia-a-dia!

Com bom jeito apresenta
As vozes regionais
Ao sorriso acrescenta
Tantos encantos locais.

São imagens com beleza,
Paisagens e gente amiga:
São nossas maiores riquezas
Rimadas numa cantiga.

Serreta ninho de fé
Dos Milagres, Virgem Senhora;
Quatro Ribeiras também é
Bela para quem lá mora.

Me despeço alegremente
Com abraço de simpatia
E venha cá ter com a gente
À pacata freguesia.

2010/07/31
Rosa Silva ("Azoriana")

 

No dia que os meus falecidos pais fariam 50 anos de casados. Fizeram 40 antes da partida sem retorno. Em homenagem a eles, que bem a mereciam, inspirei-me nestes versos pela "sua" Serreta que talvez mereça a atenção da nossa televisão.

02
Jul08

Lista de livros recebidos, adquiridos e pessoais

Azoriana

TítuloAutores
1 O meu coração é assimÁlamo de Oliveira
2 Palavras à soltaÂngela Monforte
3 Da mão a vida - Viriato GarrettJosé Avelino Santos
e Vanda Maria Belém
4 RelíquiasFrancisca Silva
5 Retalhos da minha vidaFrancisca Silva
6 São Vicente Férrer - História, Povo e CulturaGracilene Pinto
7 Hélio Costa - Autor do Carnaval dos BravosHélio Costa
8 Em Busca de Um SonhoDaniel Arruda
9 Lugar de PazDorothy E. Watts
e Ardis D. Stenbakken
10 Ilha (inclui postais da ilha)Gabriela Silva
e Kristie Mclean
11 Sonhos da AlmaClarisse Barata Sanches
12 Murmúrios do CeiraClarisse Barata Sanches
13 Rosários de AmorClarisse Barata Sanches
14 Horizontes da PoesiaEuclides Cavaco
 
15 Do meio do azul...Paulo Roldão
16 Pena e PlumaSónia Bettencourt Vieira
17 CdG - Choque de GeraçõesJoel Neto
18 Longe de ManausFrancisco José Viegas
19 Heartbreaker HotelAlexandre Borges
20 Os dias não estão para issoNuno Costa Santos
21 Sesta GrandeAntónio Prates
22 Palhaço de mim mesmoPaulo Mira Coelho
23 Os meus poemasFrancisca Silva
24 Lado oculto - PoesiaJosé Carlos Ferreira
25 João Ângelo - Mestre das CantoriasLiduino Borba
26 Aurora e Sol Nascente. Turlu e Charrua. ConfidênciasMário Pereira da Costa
 
Edição particular (on-line):
1 Pétalas da SerretenseRosa Silva
2 Um olhar TerceirenseRosa Silva
3 Onda de SonetosRosa Silva
4 À Desgarrada na "Net"Jorge Gonçalves
e Rosa Silva
5 Encontro com a TerraRosa Silva
6 Serreta na intimidadeRosa Silva
 
CD's:
1 RomariaParada de Gonta
2 Galeriacores Photo Shows
- Ilha Graciosa
Jorge Gonçalves
3 Sanjoaninas 2005Comissão
4 Música diversaAlberto Flores
5 Filarmónica Recreio SerretenseSociedade

22
Fev08

"Uma Rosa na Blogosfera" da autoria de M. João - Oeiras

Azoriana
UMA ROSA NA BLOGOSFERA

MOTE
Tenho uma amiga que é Rosa!
Uma rosa virtual...
Escreve poesia e prosa
Com candura virginal!


TENHO UMA AMIGA QUE É ROSA!
Uma rosa, quem diria...
Por causa da Poesia
Quase me sinto famosa...

UMA ROSA VIRTUAL...
Coisa rara nunca vista!
Queira Deus que a Rosa exista
Também no mundo real!

ESCREVE POESIA E PROSA
Porque a Rosa tem talento
E Deus, que está sempre atento,
Quis torná-la talentosa...

E, sendo rosa, afinal,
Não me espanta mesmo nada
Ver essa flor contemplada
COM CANDURA VIRGINAL!

22.02.08 - 15.30h
"poetaporkedeusker"

M. João Sousa

16
Nov06

Dueto

Azoriana

"QUERO"

Quero neste momento
Libertar-me do sofrer
Que a dor seja varrida pelo vento
Acordar para a vida sem lamento
Abraçar o sol que vai nascer
E dizer ao meu sentimento
Que nunca é tarde para viver

Quero o eco da tua voz ouvir
Como ouço o cântico dos passarinhos
Na maciez dos teus lábios construir
Novos horizontes novos caminhos
E no meu peito poder sentir
O aconchego dos teus carinhos

Quero sentir o teu odor selvagem
Beijar-te sobre as ondas do mar
Contemplar a tua imagem
Que meu corpo faz vibrar
E ler-te uma mensagem
Que termine no verbo amar

Quero ao som de mil violinos
Cantar-te a canção da liberdade
Em teus olhos cristalinos
Escrever a minha lealdade
E traçar os destinos
Que nos leve à felicidade

Quero esquecer as ilusões
O tempo perdido e a dor
Sentir a voz das emoções
Dar à vida luz e cor
E plantar em nossos corações
Uma árvore chamada Amor

Autor: Hélio Costa

Lado B de "Quero"

Respondo a esse momento
Não gosto de ver sofrer
Quem me dera ser o vento
Para te libertar desse lamento
Ver-te de novo a nascer
Como flor rubra de sentimento
E com um sorriso a condizer

A voz que agora podes ouvir
Não é como a dos passarinhos
Neste espaço deixa-me construir
Novas linhas que talham caminhos
Para que possas assim sentir
As palavras rimadas de carinhos

Sei que estou a ser selvagem
Apoderei-me do teu rimar
Quis responder com imagem
Em cada linha decidi vibrar
Completa-se assim a mensagem
De quem gosta tanto de amar

Perdoa se não trouxe violinos
Vou cantar no tom da liberdade
Meus pobres versos cristalinos
Remeto à tua lealdade
Desejo que os teus destinos
Tenham muito amor e felicidade

Não esqueças as ilusões
Se bem que façam alguma dor
Canta e junta-lhes emoções
Nesse canto dá-lhe a cor
Que alegra tantos corações
E começa pela palavra: Amor

Azoriana

07
Nov06

Regresso ao amor!

Azoriana

Obrigada, amiga!

A beleza
A arte
A harmonia
Tudo faz parecer magia.

A delicadeza
Se reparte
Ao fim de um dia
Tudo se faz com alegria.

Intitulo-a:
«Regresso ao amor!»

Azoriana

Nota: Agradeço à minha amiga Chica Ilhéu por esta linda peça de arte.

17
Out06

Inspirada numa imagem...

Azoriana

Cidade dourada

De ouro te pincelam... luz a Cidade!
Os ares, ruas, prédios e mar
Nenhuma ponta cai na ociosidade
Que em ti paira mas não te vai queimar.

É um prazer ver-te sorrir bordada
De luz e brilho que risca a avenida
Da vasta cidade - Ponta Delgada,
Com esse ar dourado e tão destemida.

"Sol-Mar" com vida, força imponente,
Onde se concentra o nascer luzente,
Das manhãs que têm sabor desse sal...

E eu aqui fico alegre a sonhar
Na vontade de cedo acompanhar
O tom que te faz cidade ideal.

Azoriana

Nota: Isto foi o que me inspirou a foto da autoria de Nuno Barata, no blog " Ponta Delgada".

04
Set06

From Modesto, Califórnia...

Azoriana

Agradecimento a José Ávila

clique para ampliar

Na «TRIBUNA portuguesa»,
Primeira quinzena – Julho,
Ver meu nome no artigo
É p’ra mim tal emoção
E motivo de orgulho.
Agradeço de coração
Ao editor, bom amigo,
P’la sua delicadeza.

José Ávila publicou
O mote da minha rima
Versos às Sanjoaninas
Do ano dois mil e seis.
Uma imagem encima
Do fotógrafo que sabeis
Atento às Sanjoaninas
Que o Divino inspirou.

Numa outra edição
“Congresso de Improvisadores”
Li bem entusiasmada
A ideia nem é má...
E se fossem dos Açores
Juntam-se com os de lá
Numa bela desgarrada.
Vão em frente porque não?!

Nesse dia eu gostava
De seguir nessa viagem
(Improviso a novidade)
Na escrita sei cantar :)
Sorri com esta miragem
Nem sei se ia singrar
Nesta arte sem idade... :)
(Sinto-me mesmo tentada).

Modesto – Califórnia!
Esta edição portuguesa,
Merece todo o respeito.
Bem haja este seu editor!
E digo-lhe, com franqueza,
Azoriana ao seu dispor.
Um sorriso p’lo seu feito
E não faça cerimónia.

Um abraço de ternura,
Para todos os emigrantes
Com saudades dos Açores
E do berço tem memória...
Eu sei que mesmo distantes
Têm sinais da História!
P’ra eles mando louvores
E p’ra si muita ventura!

Rosa Maria Silva
(“Azoriana”)

Mais sobre mim

foto do autor

in DI Domingo. Foto de António Araújo

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

imagem do cabeçalho editada por DJDiniz

Livro de visitas
Guestbook

ir para / go to:

nota de abertura

Neste espaço residem pequenos fragmentos da alma serretense.
Um residente classificou-a como sendo fresca no clima e quente na hospitalidade. É, sem dúvida, uma freguesia fresca, pequena mas com uma grande alma.

É um "Cantinho do Céu", como a autora lhe chamou num dos seus artigos, já publicados no blog original "Azoriana / Açoriana".
Sob o pseudónimo de Cidália Miravento e na capa de "Azoriana", Rosa Silva vai reunindo coisas suas e de outros no intuito de divulgar a freguesia que lhe deu berço - SERRETA.

Bem-vindo à Serreta, a freguesia de Nossa Senhora dos Milagres, do concelho de Angra do Heroísmo, ilha Terceira - Açores.

Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

selo

Azoriana/Açoriana (II)
Azoriana/Açoriana (II)
@ 2006 - Código

(Usa Ctrl+C p/copiar
e Ctrl+V p/colar
o selo no seu blog)